18
Fev 08

 

Hoje fui ao cinema ver "PS.: I Love You".

O filme é simplesmente...LINDO! Chorei do princípio ao fim (ok, eu sei, sou uma lamechas incurável ).

A verdade é que me tentava colocar no papel da personagem principal, Holly, e tentava imaginar como seria se a pessoa que eu amasse morresse, e pronto, escusado será dizer que as lágrimas começaram a escorrer pela minha face, umas atrás das outras.

 

Todos conhecemos expressões como "Carpe Diem" e "Não deixes para amanhã o que podes fazer hoje", pois, por mais que as conheçamos, acabamos por nunca fazer o que estas nos aconselham.

Mas e por que não?

Porque é que não dizemos às pessoas que são mais importantes para nós, o quão importantes, de facto, são e o quanto gostamos delas?

 

Quando era pequenina costumava pensar que para todas as mulheres existia um homem destinado... (não me importava que o meu fosse o Gerard Butler, só o sotaque vale por tudo )

Um homem perfeito para mim (e para grande parte das mulheres,lol) seria o Gerry (interpretado pelo Gerard Butler no filme). O homem tem todas as qualidades que se pode querer num companheiro:

 

  • é querido
  • preocupa-se com a mulher
  • atura as suas neuras e ainda a reconforta
  • canta para ela
  • é brincalhão
  • leva com os sapatos que a mulher lhe atira e ainda se ri
  • tem uns olhos lindos
  • um abraço que nos faz sentir seguras
  • um corpo, umas mãos, um sorriso...tudo lindo! lol
  • e por último... o sotaque!!!! (eu tenho uma panca por sotaques, caso ainda não tenham reparado   e o dele é simplesmente...uauuuuuu!!!)

 

 Ele ensina-a aos poucos a lidar com a morte dele. Tecnicamente, não devemos ficar agarrados ao passado, temos de seguir em frente... é isso que irei fazer, aprender a viver sem "aquela" pessoa na minha vida, e quando menos esperar o "tal" aparecerá à minha frente e quem sabe se não será um irish moreno de olhos azuis  (não faz mal uma rapariga sonhar)

 

 

by the way....

 

PS.: I love you

 

 

 

Escrito por Someone Else às 20:13

07
Out 07

 

 

 

 Nunca disse o quão importante era na minha vida... Nunca disse o que significava para mim... Nunca mantive um relacionamento muito próximo, talvez porque as condições também não o permitiam... Só damos o merecido valor às coisas quando as perdemos... Foi preciso partir para me aperceber do lugar que ocupava dentro de mim... dentro da minha vida...

 Lembro-me claramente daquela manhã, como se fosse ontem ... no entanto, já se passaram 8 anos... Estava num ritmo acelerado, de um lado para o outro entre a casa de banho e o meu quarto, estava a preparar-me para começar mais um dia de escola... De repente, o telefone toca... Como estava a passar ao lado, aproveitei e atendi... Era o tio... Achei estranho estar a ligar assim tão cedo, afinal ainda nem eram 8h... A voz dele estava esquisita... Pediu-me para passar o telefone à minha mãe... Chamei-a e ela falou com ele enquanto me continuava a arranjar... Quando estava a passar no corredor, ouço-a começar a chorar... Aproximei-me para ver o que se tinha passado... Já tinha desligado o telefone e estava agora abraçada ao meu pai... Perguntei o que se tinha passado... O pai abraçou-me e disse-me que tinhas morrido... Lembro-me de me sentir vazia por dentro... Afastei-me... Sei que me encostei à ombreira da porta do quarto e comecei a chorar baixinho... Fui ao meu quarto e procurei por todos os postais que me mandou nos meus aniversários... Era a única coisa que tinha que me fazia sentir mais perto de si...

Lembro-me de ter pena de si... Quando estava a família toda reunida a falar e a rir, lembro-me de olhar para si e vê-lo simplesmente a tentar esboçar um sorriso, de forma a não "destoar" no quadro tão feliz... Imagino o quão sozinho se devia sentir... Sempre tive pena de não poder comunicar mais consigo... Hoje sinto falta de ouvir a sua voz rouca e de sentir as mãos ásperas a passarem-me no rosto enquanto me diz o quão crescida estou... Creio que "falei" mais consigo desde que morreu do que quando estava vivo... Tornou-se no meu confidente... Não acredito muito em Deus nem na existência do paraíso ou do inferno... Não sei se existe "um outro lado", mas gosto de pensar que, onde quer que esteja, me consegue ouvir e guiar pelo caminho certo... Sei que dentro de mim terá sempre um cantinho só seu e no qual permanecerá para sempre, acompanhando-me por toda a vida...

Sinto a sua falta...

Sinto falta de ser pequenina outra vez e sentar-me no seu colo envolta no seu abraço...

 

 

 

 

 


27
Set 07
Escrito por Someone Else às 18:26
música: Iris - Goo Goo Dolls

Abril 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim